As últimas de Valinhos

Camâra de Valinhos

Com economia de cerca de R$ 3 milhões ao ano, Câmara aprova nova estrutura da Prefeitura

 

O projeto de lei do Executivo para a criação da nova estrutura da Prefeitura foi aprovado, com quatro votos contrários, em segunda discussão, na sessão desta terça-feira (17). Com a Casa lotada de manifestantes contra e a favor do projeto, a nova estrutura causou debate entre os vereadores. O projeto aprovado prevê uma redução de 100 cargos comissionados o que, segundo a Prefeitura, deve gerar economia de R$ 3 milhões ao ano.  Foram contrários os vereadores Mauro Penido (PPS), Edson Secafim (Progressistas), Henrique Conti (PV) e Mônica Morandi (PDT).

 

O vereador Mauro Penido voltou a usar a tribuna para criticar o projeto, apontando o que para ele são falhas. “Eu informo que não sou contra, não sou contra comissionados de jeito nenhum. Isso é uma complementação que existe desde que existe a República (...) não pode o prefeito ou qualquer outro vereador dizer que a Prefeitura vai parar. Evidente que não. Queria dizer que, além disso, a sentença da juíza diz que cargos de chefe de seção e chefe de setor não são cargos superiores. São cargos subalternos, de caráter executório, de rotina administrativa. Ora, a nova estrutura administrativa cria mais de 100 cargos de chefia de seção, que pelo organograma são cargos subalternos da execução de serviços burocráticos”.

 

Outro vereador contrário à nova estrutura, Edson Secafim, também se manifestou, após ler parte da decisão judicial que pede a nova estrutura da Prefeitura. “Como não existe outra sentença judicial que derruba a decisão da juíza dra. Daniela, que em sua decisão determina que os cargos [em comissão] sejam extintos ou que se faça concurso público para preenchimento dos mesmos, e que em nenhum momento no processo abre-se procedente para se criar uma nova estrutura, não vejo como votar a favor desse projeto”, afirmou o vereador.

 

A questão do cumprimento da sentença judicial foi defendida pelo vereador Giba (MDB). “Hoje a gente percebe que mudou um pouco a fala dos vereadores que votaram contra esse projeto. No princípio, não concordavam com nada, hoje já estão concordando. Tudo o que foi pedido na sentença judicial está sendo cumprido nessa nova estrutura. Foi colocado lá que a juíza pediu para extinguir os cargos que não são de assessoramento, direção e chefia. Foram excluídos os cargos de assessor 1, assessor 2, assistente técnico, diretor de divisão, foi excluído dessa estrutura e já foram exonerados. Foi pedido para que não se nomeasse nenhum assessor, nenhum cargo em comissão (....) Foi montada uma comissão na Prefeitura com advogados e servidores efetivos, que se debruçaram por quatro, cinco meses para se adequar ao que a Justiça pediu e ao que está na Constituição Federal (...) Está economizando R$ 318 mil mensais. Fazendo um cálculo, vai ser R$ 4.241,000 por ano. Como não é bom? Está dentro da legalidade e da constitucionalidade”, defendeu, ao lembrar que o prefeito Orestes Previtale (PSB) assim que assumiu o cargo já não preencheu todas as vagas de comissionados, preocupado com a economia.

 

O vereador Alécio Cau (PDT), assim como na sessão anterior, voltou a pedir que a verdade seja dita. “Esse projeto é oriundo de um trabalho de servidores efetivos da Prefeitura. Não surgiu da cabeça de um prefeito, de um vereador, surgiu da necessidade. Temos um problema que vem de 2008 e que agora com uma decisão judicial fez com que a Prefeitura tivesse que tomar uma postura e essa Casa de Leis também. É nosso papel sim dar a nossa contribuição, melhorar aquilo que nós não concordamos. Se o projeto tem falhas, que se tivessem apresentado emendas para melhorar esse projeto”, destacou.

 

A questão da economia foi bastante enfatizada pelo vereador Mayr (PV), que destacou o momento difícil pelo qual o município atravessa. “Sem dúvida nenhuma, volto a bater nessa tecla, o maior problema da cidade de Valinhos é o endividamento. Então, são várias medidas que têm que ser tomadas para sanear, porque se não sanear, nada vai viabilizar. Eu vou dar um exemplo de uma família que tenha renda familiar de R$ 4 mil e gasta R$ 5 mil por mês. Todo mês está no vermelho. Isso vinha acontecendo na cidade de Valinhos. Isso é desgoverno, é não cuidar do dinheiro público. A nova estrutura vem ao encontro de tudo isso, vem diminuir os gastos públicos. A cidade precisa passar por reformulação econômica primeiro de tudo e a nova estrutura vem ajudar. É uma junção de economia que vai poder viabilizar a cidade para os nossos filhos e nossos netos”, defendeu, citando ainda outras economias feitas pela administração pública como redução de aluguéis, contratos e exclusão do Inase como administrador da UPA.

 

A vereadora Dalva (MDB) voltou a falar dos pontos positivos do projeto. “Fica muito fácil trazer para essa discussão algumas falas que não são verdadeiras. A verdade é que no cumprimento de uma decisão de uma ação judicial, esse projeto veio para a Casa e como já foi dito, não teve nenhuma emenda. A emenda quem fez foi a Comissão de Justiça e Redação da qual sou presidente. Está diminuindo sim cargos, economizando sim quase R$ 4 milhões por ano”.

 

Sobre a alegação do vereador Mauro Penido de que não houve conversa da atual administração com o Judiciário, o presidente da Casa, vereador Israel Scupenaro (MDB), explicou: “Foram feitas tentativas judicial e extrajudicial, mas não foram aceitas.  A decisão estava dada e precisava de uma nova estrutura. Está aí a nova estrutura, que cai o número de comissionados de 323 para 223. Os vereadores estão com isso [o projeto] há mais de 20 dias. O voto é democrático e cada um tem que respeitar a decisão”, salientando que, apesar das manifestações terem interrompido por diversas vezes a discussão, o momento era importante para que as pessoas conhecessem o projeto e ouvissem o debate.

 

 

ENTENDA ALGUNS PONTOS DA NOVA ESTRUTURA

 

- O projeto da nova estrutura atende determinação do Ministério Público e foi protocolado na Câmara em 19 de março;

 

- Sai de 5.202 cargos entre efetivos e comissionados e vai para 4.668, extinguindo 534 cargos no total.

 

- São extintos 100 cargos em comissão, passando de 323 para 223. A economia aos cofres públicos, segundo a prefeitura, é de cerca de R$ 3 milhões ao ano, só com comissionados.

 

- O projeto prevê 223 cargos comissionados e 4.455 efetivos, sendo que entre os cargos efetivos, 171 serão criados e concursados.

 

- Serão extintos da estrutura atual 605 cargos efetivos que hoje estão vagos.

 

- A nova estrutura cria ainda a Procuradoria Geral do Município, que era uma exigência do Ministério Público.

 

- Já entre os comissionados, além da redução de 100 cargos, há outras mudanças: o ensino superior passa a ser exigido dos cargos de diretor de departamento e chefe de seção. Ainda são extintos os cargos de assessor 1 e 2, chefe de setor e assistente técnico, e criados os cargos de assessor de políticas públicas e assessor especial de políticas públicas. O percentual de cargos comissionados ocupados por efetivos sobe de 5% atuais para ao menos 10%, o que segue entendimento do Tribunal de Contas.

 

- Atendendo o MP, extingue o adicional de função (garantindo o direito adquirido dos servidores efetivos que fazem jus) e modifica o adicional estímulo ao aperfeiçoamento técnico-profissional, passando a ser de 5% sobre a referência salarial para cada nível acadêmico acima da exigência mínima do cargo. Atualmente, os servidores com ensino médio ganham 10% e os com superior, 20%.

 

 



Notícias relacionadas

  • Entenda alguns pontos da nova estrutura administrativa da Prefeitura

      O projeto da nova estrutura administrativa da Prefeitura foi aprovado em primeira discussão na…

    leia mais leia mais
  • Nova estrutura da prefeitura é aprovada em primeira discussão

      Os vereadores aprovaram na sessão desta terça-feira (10) em primeira discussão, com quatro…

    leia mais leia mais
  • Nova estrutura administrativa da Prefeitura está na pauta da sessão desta terça-feira, 10

      Está na pauta da sessão desta terça-feira (10) projeto de lei encaminhado pelo prefeito Orestes…

    leia mais leia mais
  • Prefeito envia à Câmara nova estrutura administrativa

      O prefeito Orestes Previtale (MDB) enviou nesta segunda-feira, 19, para apreciação dos…

    leia mais leia mais
  • 100 dias no Legislativo: presidente destaca nova estrutura e medidas de economia

      O presidente da Câmara, Israel Scupenaro (PMDB), avaliou nesta terça-feira, 11, em entrevista…

    leia mais leia mais
  • Exonerações na Câmara de Valinhos chegam a 17; cortes atingem servidores comissionados

      Mais seis funcionários comissionados foram exonerados da Câmara de Valinhos nos últimos dias.…

    leia mais leia mais
  • Nova estrutura da Prefeitura e outros sete projetos devem ser votados na sessão desta terça-feira

      Os vereadores devem votar na sessão desta terça-feira (17) oito projetos de lei, de autoria de…

    leia mais leia mais
  • Alécio Cau e Giba sugerem criação de um Conselho de Desenvolvimento Econômico em Valinhos

      Os vereadores Alécio Cau (PDT) e Giba (PMDB) apresentaram, na sessão desta terça-feira (26),…

    leia mais leia mais
  • Quatro projetos do Poder Executivo são aprovados durante a sessão

      Quatro projetos encaminhados pelo prefeito Orestes Previtale (PMDB) foram aprovados na sessão…

    leia mais leia mais
  • Vereadores querem que edições da Imprensa Oficial e holerites sejam apenas digitais

      Os vereadores aprovaram nesta terça-feira (23) uma moção sugerindo ao prefeito Orestes…

    leia mais leia mais
Câmara Municipal de Valhinhos
Notícias
  • Câmara suspende atendimento durante o Carnaval; atividades retornam no dia 27

      O atendimento ao público na Câmara de Valinhos será suspenso nos dias 24, 25 e 26, em razão do…

    leia mais leia mais
  • Câmara sedia audiências públicas na quinta e sexta-feira

      A Câmara sedia duas audiências públicas nos dias 27 (quinta-feira) e 28 (sexta-feira) para…

    leia mais leia mais
  • CPI das Contrapartidas inicia fase de oitivas

      Os vereadores que fazem parte da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) que investiga…

    leia mais leia mais
  • Mayr propõe isentar do IPTU imóvel atingido por enchentes

    O vereador Mayr (PV) protocolou na sessão de terça, 18, projeto de lei isentando proprietários de…

    leia mais leia mais
  • Vereadores abrem CPI para investigar possíveis irregularidades nos radares de Valinhos

      Os vereadores instalaram, na sessão desta terça-feira (18), uma CPI (Comissão Parlamentar de…

    leia mais leia mais
  • Moradores apelam à Câmara contra mudança no trânsito na região do Parque dos Cocais

      Moradores do Condomínio Itapema, localizado na região do Parque dos Cocais, fizeram um…

    leia mais leia mais
  • Câmara homenageia cidadãos honorários na quarta, 19

    A Câmara entrega o título de Cidadão Honorário a cinco moradores de Valinhos na quarta, 19.…

    leia mais leia mais
  • Requerimentos e moções somam mais de 20 itens na sessão de terça-feira (18)

      Os vereadores devem votar na sessão desta terça-feira (18) pelo menos 20 itens, entre…

    leia mais leia mais
  • Vereadores querem permitir que proprietários contratem empresas para cortarem árvores nas calçadas

    Na sessão da última terça, 11, um grupo de seis vereadores protocolou projeto de lei autorizando…

    leia mais leia mais
  • César Rocha quer feira de adoção para animais cuidados pela prefeitura

    O vereador César Rocha (Rede) apresentou projeto de lei criando um sistema de feiras de adoção…

    leia mais leia mais
Arquivo de Noticias
Hino de Valinhos